quarta-feira, 25 de novembro de 2009

A MASCARA DO ARANHA





Tio Ben ja dizia para seu sobrinho Peter Parker que grandes poderes exigem grandes responsabilidades. Mas qual seria o preco de viver uma vida de super-heroi e saber que a qualquer momento seu maior inimigo poderia saber o CEP de sua casa e violar o que lhe 'e mais sagrado - sua mulher, familia, amigos? Bem, pode parecer que nao mas pensei nestas coisas enquanto fazia esta pin da Mary Jane, que no final das contas, vai acabar chamando mais atencao que meus pensamentos ao acaso... As cores sao do meu amigo Troiano Lima (como sempre).

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

THE ENDLESS: DELIRIUM


Do universo de Sandman uma nova ilustração da personagem Delirium, uma dos Perpétuos. Ao fundo entre as névoas o próprio Sandman.

Acho que descobri porque gosto tanto destes personagens criados pelo Gaiman: a questão de refletir sobre a natureza humana. Ao longo da vida passamos por incontáveis momentos de felicidades e tristrezas que resultam na forma como a encaramos a cada novo dia. Os Perpétuos são eternos, logo entendem a natureza do homem ao longo dos séculos, seus valores, costumes, hábitos... Logo, como pensamos, como agimos, são consequência da forma como aprendemos a perceber e ver o mundo intrinsicamente ligado ao momento histórico que vivemos. Agora imagine como estes "entes" compreendem o homem sabendo de toda sua história ao longo do tempo? Putz, bem louco! É claro, o fato de desenhar a Morte e a Delirium também reflete uma afeição em particular pelas mais graciosas personagens deste universo.

domingo, 22 de novembro de 2009

sábado, 21 de novembro de 2009

1997 - 1998
































Para finalizar esta viagem no tempo, que nem faz tanto tempo assim, o final dos anos 90 foram marcados pela forte presença dos quadrinhos de super-heróis. Todo mês estava nas bancas comprando X-Men e nas incursões em sebos desvendava outros universos e tinha acesso as histórias de outros personagens. Foram vários envelopes com amostras que enviei para Editora Escala e Mercado Editorial. Algumas experiências desagradáveis e o conhecimento de brasileiros que desenhavam para o mercado americano. A publicação da "revista" Herói em bancas desde meados da década expandiu a visão do mercado em época que não havia acesso a internet.
Tá bom, chega, voltando ao mundo real! Abração a todos.

1995 - 1996





No ano de 1995, parte da família do meu pai se tornou Testemunhas de Jeová e um clima religioso me influenciou a reciclar o conceito que havia trabalhado em Thunderboys para este novo momento. Outros aspectos como ter aulas de Geografia com a Angélica que apresentou a USP em minha vida e o fascínio pelo conhecimento enciclopédico que tinha; o surgimento do rockn' roll e a febre dos Cavaleiros do Zodíaco estiveram presentes.
Nesta série criava uma nova Gênese para o mundo onde o grande conflito bíblico entre Deus e o diabo era o arcabouço para a existência destes personagens, os três originais de Thunderbolts e outros quatros oriundos de outros países, África do Sul, França, Japão e EUA. Durante 5 anos eram treinados em lugares distintos do planeta, em eras geológicas da Terra, entre dinossauros, mudanças climáticas e extraterrestres. O momento do eclipse de 1994 seria o climax do primeiro arco da série, onde os heróis chegariam em nosso tempo. Entretando uma horda de demônios viajariam até o passado para massacrá-los. Era meu imaginário dos 16 anos...

1994, O ANO DOS THUNDERBOYS


O ano de 1994 foi marcado pelo desenvolvimento do meu primeiro quadrinho com heróis adolescentes inspirados nos Novos Titãs da DC Comics e com personagens baseados em amigos de escola. Eram os Thunderboys. Acredito que nos três números que fiz, por volta de 100 páginas foram escritas e desenhadas entre Outubro de 1993 e Março de 1995, quando já não tinha mais graça de fazê-los. Estava cursando o Colegial no centro da cidade e estes personagens lembravam uma época que queria esquecer.

1993.


Esta imagem remete um momento muito engraçado dos meus 14 anos: uma espécie de "crossover" entre todos os personagens que havia criado influenciado pelos quadrinhos da Marvel, DC Comics, desenhos animados e live-action japoneses. Acho que desenhei cerca de 40 páginas dobrando o papel sufite ao meio, com lápis no.2 e "arte-finalizando" com o melhor material do mundo nesta idade: caneta bic preta! A fórmula era a mesma de sempre: um monte de seres super-poderosos dando porrada em outros seres super-poderosos feios.

1987.







Hoje caí da cama em clima de nostalgia. Saudades da época de cursinho que acordava cedo para me preparar para enfrentar o "monstro do vestibular" no final do ano... saudades de me dedicar horas a fio estudando algum assunto que tornasse mais prazerosa a vida... saudades de desenhar sem nenhuma pretensão, mas apenas pelo fato de estar fazendo o que se gosta.
Este provavelmente é o desenho mais antigo que tenho em casa. Foi feito na escola, numa sala de aula. Engraçado esta relação que tenho com a escola, mas acho que foi pelo contato com os materiais que descobri que com lápis e papel poderia fazer bem mais do que repetir o que os professores estavam demonstrando. Poderia rabiscar coisas que zumbiam em minha cabeça e fazer um pouco mais. Acho que no final foi só influência do que via na TV: os "desenhos desanimados" da Marvel e os Superamigos da DC Comics. Lembro que naquela época, 1987, então minha 2a. série do primário, no final da tarde, chegando da escola, assistia na Sessão Aventura, Thundercats. Havia um horário só pra eles... como não gostar? Então, tudo isso se misturava em minha cabeça: ao mesmo tempo que sempre me dediquei aos estudos, gostava dos super-heróis... desenhava o que os professores pediam como uma casinha e uma flor, como toooodo mundo fazia, mas tinha meu jeito particular de estimular a criatividade. Agora vejo como tenho repitido esta mesma fórmula a tantos anos.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

SLADE WILSON_CORES


Três dias após ter feito este desenho,
Troiano o coloriu digitalmente... em tempo recorde!
Comentem...!

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

SLADE WILSON


Neste domingo fiz esta ilustração do Slade Wilson,
o vilão Exterminador das páginas de Novos Titãs.
O vi pela primeira vez no quadrinhos numa edição especial dos X-Men e Novos Titãs, crossover realizado pela DC e Marvel Comics no início dos anos 80, onde dava um pau até no Wolverine!

Slade é criação de Marv Wolfman e George Pérez para DC Comics e sua primeira aparição foi em New Teen Titans#2 em dezembro de 1980.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

NIC E PAPITO





















Estes sao os animais de estimacao la de casa. O gato chama-se Nic, arteiro, esperto e preguicoso... como um bom gato. O cao 'e o Papito, ex-cao-de-rua, esperto, feliz e adora pregar pecas em quem passa na rua.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

QUARTETO FANTÁSTICO: O COISA


Uma ilustração clássica de Ben Grimm, o Coisa do Quarteto Fantástico, a primeira equipe de super-heróis da Marvel Comics, criada em 1961 por Stan Lee e Jack Kirby.
Ben é meu personagem preferido do Quarteto, aqui ele aparece relembrando sua fase clássica onde se escondia num sobretudo.
Particularmente Ben tem uma carga simbólica muito grande e estava nos primeiros testes que fiz para Art&Comics.

domingo, 15 de novembro de 2009

MORTE E OS PERPÉTUOS




Morte e os Perpétuos, criação de Neil Gaiman. Para começar bem a semana. Neste mês tenho repensado a forma que venho conduzindo meu talento nos últimos dois anos, as experiências que tenho feito são em relação ao traço, mudando do HB para 2B e arriscando construções, composições, planos... Realmente, gostaria de poder estar voando mais alto...

domingo, 8 de novembro de 2009

DELIRIUM DOS PERPÉTUOS


Delirium é a irmã mais nova de Sandman.
Ela é incapaz de diferenciar o real da fantasia, de
distinguir a si mesmo e aos outros que a rodeiam.
Acho que é assim que as pessoas loucas devem se sentir
ou não sentir. Nossa percepção de realidade está baseada
em nossos sentidos e em experiências passadas que são processadas por nosso cérebro que tenta antecipar o que está
prestes a acontecer... Agora penso como Delirium deve se sentir perdida em seu próprio reino. A vejo como uma garota impulsiva que não mede as consequências para realizar seus desejos, o lado contrário da mesma moeda, onde Morte seria o outro lado. Bem, deixa pra lá... são só pensamentos ao acaso.
As cores como sempre são do Troiano.

sábado, 7 de novembro de 2009

SKETCH CARDS SPIDERMAN













Alguns sketch cards da série Spiderman que fiz para Rittenhouse Archives/Marvel Comics. O Homem-Aranha tem um universo incrível de personagens que pude explorar nestes cartões
Acabei dando mais destaque para a galeria de vilões tentando mostrar cada um deles. Gostei de fazer os vilões clássicos como Duende Verde, Abutre, Elektro e também de desenhar a Mary Jane, e porque não, os do próprio aracnídeo.
Valeu Edde!


sexta-feira, 6 de novembro de 2009

J.DAVID LEE ORGULHOSAMENTE APRESENTA... TROIANO LIMA


Nesta sexta gostaria de postar duas fotos do Heder Lima, mais conhecido como Troiano. Estamos trabalhando juntos mais ou menos desde Junho deste ano e publicamos neste mes de Outubro na revista Mundo dos Super-Herois#18. O Troiano ja deve ter colorido cerca de 30 desenhos meus e cresceu muito como colorista ao longo deste tempo...

Podem conferir o trabalho do Heder neste endereco>
http://troianocomics.deviantart.com/

E tudo isso com esta pequena tablet!!!

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

MARY JANE


Nesta pin-up da Mary Jane quis brincar com a
luz e sombra, torcoes do corpo e composicao.
Nao ficou como gostaria. Neste caso o
importante foi o processo mesmo...

domingo, 1 de novembro de 2009

Minha Diana.


E esta é minha Diana,
num sketch rápido.

DIANA DE THEMYSCIRA







Novembro é o mês da Diana (minha namorada). Para começar com pé direito este mês do ano que é tão complexo para mim, devido a fechamento de Semestre na faculdade e uma infinidade de questões, estou postando uma ilustração da minha heroína preferida: Diana, a Mulher-Maravilha da DC Comics. A idéia veio do passado clássico da personagem em Themyscira, sem o tradicional uniforme que por várias vezes também desenhei.