domingo, 13 de setembro de 2009

CAVERNA DO DRAGÃO





Caverna do Dragão (Dungeons & Dragons, EUA, 1983-1986), um dos meus desenhos preferidos na infância, costumava sonhar que também participava das histórias no "Reino" de Dungeons & Dragons.
A abertura do primeiro ano da série mostra um grupo de jovens em um parque de diversões, embarcando em uma montanha russa chamada Dungeons & Dragons. Contudo, durante o passeio um portal se abre e traz o carrinho onde eles estavam para um outro mundo, no qual aparecem trajando outras roupas e recebendo logo em seguida armas mágicas de alguém que se apresenta como Mestre dos Magos (Dungeon Master, no original, termo também presente nos jogos de RPG que deram origem à série). A partir daí, os jovens passam por uma série de aventuras em busca de uma forma de voltar para casa, nas quais o Vingador, um mago maléfico, tenta a todo custo tomar as armas mágicas dos jovens com a intenção de destruir o Mestre dos Magos e tomar todo o reino.

Hank (ranger): o mais velho do grupo, assumiu a função de líder, ainda que hesitante. Nutre afeição por Sheila e sente certa culpa por ter permitido que seus amigos entrassem no Reino. Recebeu um arco mágico capaz de criar flechas energéticas, que podem ser esticadas, dobradas ou até mesmo utilizadas como corda. Seu maior medo é não ser um bom líder.

Eric (cavaleiro): tem a mesma idade de Hank, apesar de ser muito imaturo. Filho de pais ricos, é constantemente arrogante e egoísta, preocupado mais consigo e com uma chance real de retornarem para casa. Devido a sua natureza, coloca o grupo muitas vezes em perigo. Recebeu um poderoso escudo que o protege contra ataques mágicos ou físicos; esse escudo pode criar campos-de-força para defender uma pequena área em seu entorno. Ao longo do seriado, Eric tem suas feições transformadas como consequência de seu comportamento: um burro, um monstro do pântano , um macaco de cara azul e até um Mestre dos Magos. Apesar de detestar o mundo de Caverna do Dragão, já demonstrou interesse em ficar no Reino. Seu maior medo é ser motivo de piada.

Presto (mago): o mais jovem depois de Bobby, seu nome verdadeiro é Albert, sendo "Presto" uma alcunha – não se sabe se criada pelo Mestre dos Magos ou por seus amigos. É tão inseguro quanto um garoto recém-saído da infância, e sua falta de habilidade física e timidez lhe dão o estereótipo do "nerd". Suas atrapalhadas, quando não catastróficas, costumam ser motivo de chacota do grupo, especialmente de Eric. Já demonstrou sua vontade de ficar no Reino. Recebeu um chapéu de feiticeiro, do qual podem ser retirados objetos e magias aleatórias. O poder do chapéu não é inteiramente dominado por seu dono, que em determinada altura do seriado passa a recitar versos ao utilizar a arma. Presto não gostava das aulas de educação física, no mundo real; ainda em nossa realidade, Presto já gostava de realizar truques de magia. Seu maior medo é perder seus óculos e não conseguir enxergar. No Reino, sua grande paixão foi Varla.


Diana (acrobata): extremamente confiante e centrada, já apresentava habilidades acrobáticas no mundo real. Recebeu um bastão, usado em saltos e acrobacias. Tão flexível quanto as flechas de Hank, o bastão pode regenerar-se se quebrado. Seu maior medo é envelhecer. Seu pai é um astrônomo. No Reino, sua grande paixão foi Kosar.
Bobby (bárbaro): o mais jovem do grupo, é o irmão caçula de Sheila. Impetuoso, demonstra temeridade inconsequente, o que por vezes cria problemas para o grupo. Sabe da afeição que Hank sente por sua irmã, mas isso não o impede de tê-lo como amigo. Não costuma ter paciência com Eric, e afeiçoou-se de maneira especial por Uni. Recebeu um tacape, cujo golpe é muito forte, sendo capaz de quebrar pedras e até criar pequenos abalos sísmicos. Parece compreender a linguagem dos unicórnios, ou, pelo menos, o que Uni procura dizer. Seu maior medo é ser tratado feito criança.
Sheila (ladra): irmã mais velha de Bobby, o qual procura proteger. Corresponde à afeição que Hank tem por ela. Recebeu uma capa com capuz que lhe dá invisibilidade. Por razões estranhas, compreende a língua das fadas. Seu maior medo é ficar sozinha.
Uni: uma filhote de unicórnio aparentemente órfã, que se torna a mascote das personagens e tem afeto especial de Bobby. Não domina plenamente os poderes mágicos auferidos por seu chifre, especialmente a capacidade de se teletransportar uma vez ao dia. Consegue esboçar algumas palavras, em meio ao seu balido típico. Por pertencer ao Reino, não pode acompanhar os garotos de volta ao mundo real.
Mestre dos Magos: espécie de mestre de RPG ("Dungeon Master"), é o guia dos garotos. Não se conhece seu nome verdadeiro, sendo "Mestre dos Magos" uma espécie de cargo. Suas informações cifradas ocultam suas reais intenções, e por vezes seus motivos se demonstram dúbios. No intento de ajudar o grupo a retornar a seu mundo, acaba por utilizá-los para enfrentar as forças ocultas do Reino, especialmente o Vingador, e assim restaurar o equilíbrio entre ordem e caos. Zandora, antiga amiga do Mestre dos Magos, compartilha grande semelhança física com ele. Ele possui uma espécie de energia vital que, se esgotada, faz com que ele morra e seu corpo desapareça.

Vingador: um feiticeiro maléfico, opressor de diversos povos e raças, com grandes habilidades místicas. Ao longo do seriado, o Mestre dos Magos dá a entender que o Vingador já foi uma boa pessoa há muito tempo, e que o vilão se demonstrou o maior de seus erros; no Cemitério dos Dragões, o Mestre dos Magos chega a chamá-lo de "meu filho". O Vingador tenta dominar plenamente o Reino e derrotar Tiamat, e, para tanto, deseja as Armas do Poder dos garotos para ampliar seus poderes. Entre os que compõem seu exército, encontram-se orcs. O Vingador tem mais de mil anos e é especialmente vulnerável a um tipo de joia conhecida como "coração-de-pedra". Aparentemente, o Vingador usufrui de algum tipo de imortalidade que lhe garante o retorno à vida mesmo quando seu corpo é, temporariamente, destruído. Ao longo do seriado, diferentes castelos são mostrados como morada do Vingador; especificamente em um, é possível ver uma estátua do Vingador com dois chifres. Apesar de sua natureza malévola, o Vingador já foi capaz de demonstrar certa justeza para com os garotos. Ele serve a uma entidade malévola conhecida em nosso mundo como "O Mal", e cognominado no Reino como "Aquele-Cujo-Nome-Não-Deve-Ser-Pronunciado": uma entidade multidimensional de enormes poderes. Diferentemente das Armas do Poder ou de criaturas advindas do Reino, como Uni, o Vingador é capaz de invadir o mundo real e fazer uso de sua magia.

Um comentário: